OMS alerta sobre risco de câncer do ovário por consumo de gorduras trans - Mais News

OMS alerta sobre risco de câncer do ovário por consumo de gorduras trans


Doença é a oitava maior causa de morte de mulheres; somente em 2018, agência notificou 295 mil novos casos; ácidos graxos trans industriais são associados à obesidade e à inflamação.

Os ácidos graxos trans, encontrados em alimentos industrializados e processados, podem estar associados ao maior risco de desenvolver câncer de ovário.

A informação da Agência Internacional de Pesquisa do Câncer, Iarc, e parceiros foi divulgada, nesta quinta-feira, pela revista especializada Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention. A agência faz parte da Organização Mundial da Saúde, OMS.

Frituras
Segundo o estudo, a maior ingestão de ácidos graxos trans, como os encontrados em frituras, podem estar associados a um maior risco de desenvolver câncer de ovário.

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores analisaram uma pesquisa de fatores de risco na qual isolaram 1.486 casos de câncer de ovário para investigar a associação entre ingestão individual de ácidos graxos e o risco de desenvolver a doença.

Os ácidos graxos trans industriais já eram conhecidos por causar obesidade e à inflamação. Condições de fatores de risco para o câncer de ovário. Daí, os pesquisadores creem que essa relação pode explicar, pelo menos em parte, a associação entre esses ácidos graxos e o tipo de câncer.

Em 2018, foi confirmado um total de 295.414 novos casos e 184.799 mortes em todo o mundo. O câncer do ovário é o oitavo mais comum e a oitava maior causa de morte de mulheres.

Prevenção
De acordo com a Iarc, devido ao aumento da incidência de câncer de ovário em todo o mundo “são urgentemente necessárias estratégias de prevenção”. Mas até o momento foram identificados poucos fatores que podem ser evitáveis.

Para o chefe da Seção de Nutrição e Metabolismo da Iarc, Marc Gunter, essas novas descobertas estão alinhadas com a recomendação da OMS de eliminar os ácidos graxos trans industriais dos alimentos.

O especialista defende que o novo estudo fornece novas evidências de que a redução no consumo de alimentos industrializados, incluindo a chamada fast food, poderia ajudar a baixar o risco de câncer de ovário e várias outras doenças crônicas. Entre elas estão outros tipos de câncer, relacionados ao maior consumo de ácidos graxos trans industriais.



Por Jornalista Márcio Batista
Fonte: ONU News / Ana Paula Loureiro
Foto: Dominio Público / Divulgação




____________________
É proibido copiar os artigos deste site. A publicação dos artigos aqui postados em outros sites, blogs, impressos, trabalhos acadêmicos, ou trabalhos científicos deve seguir a regra da ABNT. Copiar deliberadamente na íntegra qualquer conteúdo deste site implica em crime, previsto no Código Penal. Lei do direito autoral. Todos os direitos reservados a Mais de Cristo de Florianópolis, SC, Brasil.